Cruzeiros, muito mais que um passeio além-mar


Ao longo de todos os nossos bate papos, já conversamos sobre viagens terrestres, entre países e até sobre destinos radicais.

Porém, ainda não havíamos falado sobre uma opção pra lá de divertida para quem deseja sair de férias ou simplesmente desbravar novos ares. Ou, melhor: novos mares, já que o tema de hoje são os cruzeiros.

MSC_Sinfonia

Para quem não sabe, a Catamarã Turismo é parceira de diversas empresas que organizam cruzeiros para todos os gostos e bolsos – uma ótima pedida para quem procura algo novo, sem deixar o entretenimento de lado.

Afinal, o boom de cruzeiros no Brasil e o seu aprimoramento natural com o passar dos anos fez com que esse tipo de viagem se tornasse referência para quem não abre mão de infraestrutura e muita, muita diversão.

 

  1.  Quero participar de um cruzeiro! O que eu preciso saber?

Empress_Pullmatur

O primeiro passo é procurar a Catamarã Turismo, uma vez que os agentes de viagens são especialmente treinados para apresentar a você todos os parceiros e roteiros disponíveis.

A lista é ampla: a Catamarã atua em conjunto com a Royal Caribbean, que possui destinos tanto no Brasil quanto em locais fora da América do Sul como Bahamas, Caribe e Havaí; a Costa Cruzeiros, que se apresenta como “um cruzeiro que supera todas as expectativas” e possui cruzeiros temáticos como Costa Favolosa (que dispõe de um AcquaPark em dois conveses, com direito a réplica de castelos de piratas), Costa Diadema (que possui o chamado Samsara Spa, que tem 7.800m², quatro andares e uma academia completa) e Costa Deliziosa, cujo átrio é adornado com uma monumental escultura de bronze; MSC, que fechou recentemente uma parceria com  o grupo LEGO, responsável pelo entretenimento de quem viaja com filhos; e Pullmantur, que além de possuir uma série de roteiros ainda destina um navio especial para quem não abre mão de conforto: o luxuoso Empress.

MSC-Splendida

  1. O Empress

Sob medida para quem viaja de cruzeiro pela primeira vez ou busca ‘mini férias’, o Empress também navega por águas nacionais, partindo do Porto de Santos.

Um dos roteiros mais atrativos, por exemplo, se encontra disponível neste momento na Catamarã (contato@catamaratur.com.br) e se inicia no dia 13/03 próximo, passando por Santos, Ilhabela e Armação dos Búzios.

Com duração de quatro dias, o tour oferece uma experiência única a quem busca vivenciar na prática o que é um cruzeiro, sem deixar de lado toda a mordomia exclusiva de um navio Empress, com infraestrutura de cair o queixo – são 3 restaurantes, piscinas (aberta e aquecida), hidromassagens, cassino, discoteca, spa e até salão de beleza.

Ou seja, nada como visitar um cruzeiro com o pé e tudo mais que você tem direito, não é mesmo?

 

  1. Vantagens

Existem inúmeras vantagens em viajar no estilo cruzeiro – a começar pelo fato de um cruzeiro, por si só, já ser uma experiência diferente e marcante, que foge do lugar comum.

Além disso, ao colocar no papel, o custo benefício acaba sendo mais do que vantajoso – afinal, para tudo o que um cruzeiro oferece, esse tipo de viagem acaba pesando menos no bolso do que uma viagem tradicional.

Outro ponto a se ressaltar é a segurança, já que os navios oferecem uma infraestrutura que atenta para esse fato, e a cultura que você vai adquirir durante o passeio, uma vez que irá conhecer pessoas de lugares diferentes.

Não obstante, as excursões organizadas pelos cruzeiros (é possível descer do navio durante as paradas) são um ótimo motivo para você conhecer lugares novos.



Aventure-se pelo Brasil


Os mais aventureiros já sabem: além de bonito por natureza, o Brasil dispõe de inúmeros locais para a prática de esportes radicais.

Esse é o tema de nossa conversa de hoje – a gente selecionou quatro destinos pra lá de especiais, e adianta que se você ainda não se convenceu pela prática de atividades que proporcionem o bom e velho friozinho na barriga, até o final do texto pode mudar de ideia…

 

Brotas/SP

Brotas_

Impossível falar de turismo de aventura e não citar Brotas! Localizada a cerca de 250 quilômetros de São Paulo, capital, a cidade é um ponto obrigatório para quem deseja praticar rafting.

Por lá, o esporte, cuja principal característica está no fato dos praticantes (ou seriam desbravadores?) descerem corredeiras caudalosas em botes infláveis, é praticado no rio Jacaré-Pepira.

No entanto, é possível escolher entre circuitos de intensidade variada, ou mesmo acrescentar mais diversão à experiência aliando o rafting a outras práticas, como o surfe de botes e tirolesa.

Por outro lado, uma visita a Brotas também é uma boa pedida para se aventurar no rapel: que tal aproveitar para descer uma cachoeira, como a de Santa Eulália, munido por cordas?

Há roteiros para iniciantes e até mesmo crianças – sempre com o acompanhamento, é claro, de monitores e equipamentos de segurança.

 

Chapada Diamantina/BA

Chapada Diamantina_

 

Certamente você já ouviu falar sobre a Bahia e algumas coisas que a caracterizam: seja a vida e obra de Jorge Amado, acarajé, cocada, a zona cacaueira ou Porto Seguro…

Impossível não citar também a Chapada Diamantina: localizada no coração baiano, esse conjunto de serras, além do visual arrebatador, é uma excelente opção para os viajantes aventureiros, que podem aproveitar para praticar, por exemplo, trekking.

A atividade, que consiste em longas caminhas com diferentes graus de dificuldade (dependendo do roteiro), é amplamente praticada na Chapada Diamantina – com o bônus de um cenário à parte e inesquecível.

Destaque para as trilhas pela Cachoeira do Mixila, Cânion da Fumacinha, Vale do Capão, Vale do Pati e Ibicoara.

 

Bonito/MS

Bonito_

Localizado a cerca de 300 quilômetros da capital do estado de Mato Grosso do Sul, Bonito faz jus ao nome.

Principal cidade da Serra da Bodoquena, Bonito abriga um mundo aquático, de águas doces e cristalinas. Impossível não pensar em mergulhar.

Que tal começar pelo Rio da Prata? O rio fica em Jardim, cidade vizinha à Bonito, e é considerado um point dos mergulhadores, sejam iniciantes ou não.

O passeio é acompanhado por instrutores experientes, assim como no passeio pela Lagoa Misteriosa, ali pertinho, no qual os aventureiros podem descer até 200 metros.

Outra opção é o Rio Formoso, em Bonito mesmo, um passeio que combina mergulho + visita a uma cachoeira.   Você já viu uma cachoeira por dentro?  É a sua chance!

 

Florianópolis/SC

Floripa_

Você pode até não saber, mas Florianópolis, em Santa Catarina, é um ótimo destino para praticar kitesurf.

Derivado do surfe tradicional e do voo livre, o kitesurf requer do praticante muita disposição (afinal, ele vai precisar lidar com o vento e com a maré) e uma dose de adrenalina (quanto mais intenso o vento, maiores as ondas).

Na querida Floripa, o kitesurf é praticado em massa na Lagoa da Conceição, uma pedida interessante para os iniciantes, já que as ondas por ali não são tão caudalosas; na Praia Mole, “point” dos surfistas e reduto do público jovem; e na praia de Campeche, ao sul da ilha, que inclusive é palco do Festival de Windsurf e Kitesurf.

Se você por acaso faz parte do grupo de iniciantes, considere procurar por escolas especializadas em torno da Lagoa da Conceição, que oferecem pacotes individuais e para grupos.



Argentina, terra de paixões.


Se você é um fã dos musicais, certamente já ouviu falar na famosíssima canção “Don’t Cry for me Argentina”, dos compositores Andrew Lloyd Webber e Tim Rice.

Nela, há um trecho que diz: “Don’t cry for me Argentina, the truth is I never left you”, ou “Não chore por mim Argentina, a verdade é que eu nunca te deixei” – trata-se de uma declaração de Evita Perón, mítica primeira dama do país, em cena derradeira no musical homônimo.

Não é difícil se apaixonar pela Argentina: a terra do tango e do fogo é cercada por história, cultura, possui infinitas opções de passeio, uma gastronomia ímpar e uma capital que combina efervescência a romantismo em todos os detalhes: Buenos Aires.

E é sobre ela que vamos falar.

O que fazer em Buenos Aires?

Plaza de Mayo

Inicie o seu dia visitando a Plaza de Mayo, a principal praça da cidade e cenário de diversos eventos históricos. Cartão postal obrigatório, a Plaza abriga em seu entorno construções como a Casa Rosada, sede do governo argentino e patrimônio histórico nacional.

Quem quiser, pode participar de visitas guiadas, que são gratuitas e acontecem em horários específicos aos sábados, domingos e feriados.

A seguir, emende com um tour pelo La Boca, o famoso bairro cujo nome foi inspirado, adivinhe, pelo clube de futebol Boca Juniors. (Seu estádio, o Bombonera, é um tradicional reduto futebolístico portenho).

Caminito

É no La Boca que você vai se deparar com o El Caminito, a famosa rua vanguardista e de cores mil, que recebe milhares de turistas todos os dias em busca de suas artes e artistas.

Em contrapartida, Buenos Aires abriga outro endereço mundialmente famoso: a Calle Florida, uma espécie de ‘Avenida Paulista’ (ou Quinta Avenida, Avenida Champs-Elysées, como você preferir) local, com inúmeras opções de compras e entretenimento. Um lugar para ver e ser visto!

Obelisco

Não deixe de conhecer também Puerto Madero, bairro nobre da capital, com seus inúmeros restaurantes (prove os famosos cortes de carne bovina que a gastronomia portenha oferece) e diques; a Plaza de la República, que abriga o famoso obelisco (cartão postal obrigatório da cidade) e arremate o tour com uma visita à Recoleta, região próxima ao centro, porém sem o burburinho turístico e excelente para caminhadas ao ar livre.

O que fazer à noite em Buenos Aires?

Vá assistir a um show de tango!

Afinal, estar na capital mundial do ritmo e não conferi-lo de perto é quase um sacrilégio.

Por ali, é possível encontrar diversas casas que oferecem a apresentação do ritmo imortalizado por Carlos Gardel, sobretudo aquela que leva o seu nome: na Esquina Carlos Gardel, é possível assistir ao show (que é acompanhado por grande orquestra) e jantar.

SONY DSC

Outros redutos tradicionais são o Señor Tango, cujo salão principal é tão monumentoso quanto o próprio show: possui capacidade para 1.500 pessoas sentadas, e o Café de Los Angelitos, mais intimista e com orquestra reduzida.

Porém, uma ótima pedida para casais que buscam um clima mais aconchegante.

Além disso, fica a dica para quem possui ampla disposição, e planeja aproveitar a noite portenha até amanhecer: Buenos Aires abriga casas noturnas mundialmente famosas, como a Pachá, Esperanto e Rosebar.

Informações úteis

  • Não é obrigatório levar o passaporte para a Argentina – devido a um acordo entre os países, é possível visitar o país portando apenas o RG original. Porém, fica a dica: pelo sim, pelo não leve o passaporte caso você o tenha, afinal vai que você perca o documento em algum passeio?
  • Grande parte da Argentina possui o clima temperado, sendo que o norte do país possui clima tropical e o sul, subpolar. Em Buenos Aires, as temperaturas oscilam entre os 30ºC em janeiro e 7º em julho. Ou seja, não fica muito atrás do Brasil quanto às variações comuns no verão e inverno.
  • Na Argentina, o meio mais comum de locomoção é o transporte público. A cidade possui metrô (a sua linha conta com mais de 50 km de extensão), ônibus (diferentemente do Brasil, os ônibus por lá não possuem catraca), trem e trólebus (ônibus elétricos). Você também pode recorrer a um táxi – no entanto, nesse caso, tenha sempre pesos sobrando, já que nem todo táxi local pode usufruir do sistema de cartão de crédito.
  • Hoje, a diferença no fuso horário de Brasil-Argentina, devido ao horário de verão é de apenas uma hora a mais para o Brasil. Passado este período e usando como referência a hora de Brasília, a contagem de tempo nos dois países fica igual.

Já o tempo de voo direto, tendo como base São Paulo/Buenos Aires, é de apenas 2h40 minutos.



Grupos de viagem formados por clientes da região do Alto Tietê


A Catamarã Turismo selecionou 6 destinos encantadores para você juntar os seus amigos e aproveitar os feriados de 2015 numa boa. Caldas Novas, Balneário Camboriú, Bonito, Nossa Senhora Aparecida, Curitiba e Buenos Aires em até 10X sem juros. Confira as ofertas:

anuncio_blog

Ficou interessado? Entre em contato hoje mesmo com a Catamarã Turismo e feche um pacote de viagem nacional ou internacional.

Telefones:  (11) 4735-8080 Mogi das Cruzes | (11) 4646-0080 Itaquaquecetuba

E-mail: contato@catamaratur.com.br



Viajando com a criançada


viagem-ferias-criancas

Quem tem filhos, sabe: viajar com crianças pode ser uma aventura à parte daquela incluída no seu roteiro de viagens, afinal os pequenos requerem um cuidado especial, tanto por parte dos papais quanto dos locais que irão recebê-los.

Por isso, a gente preparou um manual de sobrevivência, sob medida para quem viaja com os pimpolhos a tiracolo.

Quais e como escolher os melhores destinos?

Depende do seu objetivo com a viagem. O mais popular deles é, claro, o complexo Disney World, localizado na Flórida, nos EUA. Além de seus inúmeros parques, que contam com temáticas diferentes para agradar a várias idades (inclusive os papais), a Disney ainda está localizada numa região que possui outro atrativo e tanto para os adultos: compras.

Na América do Sul, um destino a ser considerado é Buenos Aires, a capital da Argentina. A terra do fogo, do tango e do doce de leite também oferece diferentes atrações para agradar a toda família.

Por outro lado, na Europa, o Reino Unido dispõe da combinação história + cultura + entretenimento que é diversão na certa!

No Brasil: Atente para Gramado (RS), que possui um museu interativo chamado ‘O Reino do Chocolate’; Beto Carrero World, o famoso complexo de parques brasileiro localizado em Penha (SC) e os inúmeros resorts tanto no Nordeste quanto no Sul do país, que oferecem entretenimento a toda família: enquanto os filhos se divertem com os serviços de recreação (sob a supervisão de monitores), os papais podem relaxar e desfrutar momentos a dois.

Alimentação

Mais uma vez, tudo depende do seu objetivo com a viagem. Vai viajar no verão? Invista em frutas, isotônicos e tenha sempre na bolsa biscoitinhos integrais e barrinhas de cereais, que ajudam a segurar a fome até a hora do almoço e jantar.

Vai viajar no inverno? A regra é a mesma, com a diferença que nesse período é comum as pessoas sentirem mais fome, pois no frio o organismo gasta mais calorias para manter a temperatura do corpo.

Você também pode investir em alimentos à base de vitamina C (laranja, limão, tangerina), que fortalecem o sistema imunológico e protegem o corpo de gripes e resfriados.

Porém, a gente sabe que ninguém é de ferro e, como comidas típicas são parte integrante da viagem, indica alguns itens famosos que você pode provar nos destinos citados: hambúrgueres, hambúrgueres e hambúrgueres (Estados Unidos, a terra do fast food. Procure pelo menu kids!), fish and chips (Londres), bife de chorizo, empanadas e doce de leite (Buenos Aires), e chucrute com vina, apfelstrudel e marreco com repolho roxo (sul do Brasil).

Atividades

Anote: se optar pela Disney, leve os seus filhos para um passeio no Magic Kingdom (o parque clássico, com o castelo da Cinderela), ao Epcot (se eles forem fanáticos por ficção científica), Animal Kingdom (que, como o nome entrega, faz referência ao mundo animal) e depois tire um dia para pesquisar roupas (inclusive as infantis), sapatos e tudo o que o mundo mágico de compras da Flórida e os seus outlets possam oferecer.

Já em Buenos Aires, procure pelo Zoológico de Lujan, Museu da Ciência, Museu das Crianças, Barbie Store e o Teimakén, um bioparque com atrações que vão de biologia marinha (aquário) a museus de história natural e antropologia.

Por fim, no Reino Unido, vale a pena colocar no roteiro o Museu de História Natural de Londres, Museum for Children, em Yorkshire, muitos castelos, o parque Legoland, em Windsor e o circuito Harry Potter, que inclui locações da famosa série de filmes.

Tempo de viagem

Esteja preparado. Destinos internacionais, evidentemente, requerem um tempo maior de viagem – portanto, considere os voos noturnos, para a criançada ir dormindo.

A diferença pode pesar: hoje, por exemplo, a diferença de fuso horário de Brasil – Orlando é de 3h, devido ao horário de verão. Porém, esse fuso varia de acordo com a época do ano, podendo ser de apenas 1h de diferença ou 2h.

Portanto, busque adaptar o sono de seus filhos ao horário praticado no destino, de forma que eles não sintam o cansaço após o desembarque.

Verifique com a companhia aérea todos os itens permitidos para malas de mão – como remédios e itens para dormir (a maioria das companhias oferece um kit conforto para tornar a viagem mais atrativa).

Você também pode procurar assentos próximos à região do banheiro, caso os pimpolhos tenham vontade de ir ao toalete durante a viagem.

E esteja preparado: imprevistos, como turbulências, podem acontecer independentes do tempo de viagem.

Outros fusos horários: Brasil – Buenos Aires (- 1 h), Brasil – Londres (+ 2h)

*os fusos horários foram calculados à hora de hoje, ou seja, horário de verão na região de São Paulo



Uma viagem de volta ao mundo… Dos filmes!


Quem nunca assistiu a um filme e se pôs a sonhar e a viajar junto com lindas paisagens?

Graças a eles, em apenas um instante é possível viajar por todos os continentes e vivenciar um carrossel de emoções no Himalaia, degustar um legítimo prato italiano em Roma e encontrar o amor verdadeiro em Paris.

Separe a pipoca, venha sonhar com a gente e quem sabe fechar o seu pacote de viagem depois.

Por aqui, é assim: sonhou, a gente faz acontecer – tal como em um lindo filme com um final feliz.

Inspire-se!

 

  1. Comer, Rezar e Amar

Comer-Rezar-e-Amar

Inspirado no best-seller de Elizabeth Gilbert, Comer, Rezar e Amar mostra como a própria autora deixou para trás uma rotina estável nos Estados Unidos para se aventurar em busca do autoconhecimento em três locais diferentes: Itália, Bali e Índia.

Três países diferentes, e culturas igualmente distintas, cada uma com suas peculiaridades que Elizabeth (e você) descobrirão ao longo da história.

Afinal, se na teoria a mítica Itália, a misteriosa e aventureira Bali e a espiritualizada Índia em nada combinam, na prática todas despertam novos sentimentos e proporcionam uma vivência diferente à protagonista, que ao final do filme faz as pazes consigo mesma e adquire novas e decisivas experiências.

Nas telonas, Elizabeth Gilbert foi interpretada pela estrela hollywoodiana Julia Roberts.

 

  1. Mamma Mia!

Mamma-Mia

Se você faz parte do grupo de pessoas que não pode ver as lindas paisagens da Grécia sem se deixar levar pelo cenário único do país, parabéns – você não está sozinho.

Não à toa, a Grécia é o pano de fundo para o musical Mamma Mia!, filme lançado em 2008 e inspirado na famosa obra do ABBA.

A trama apresenta Sophie, uma jovem noiva que, às vésperas do casamento, decide descobrir quem é o seu pai verdadeiro, para o desespero da esfuziante Donna, a sua mãe, vivida por Meryl Streep.

Enquanto isso, as belas paisagens da Grécia tomam contas da tela – curiosamente, porém, a ilha de Kalokairi, onde o filme se passa, é fictícia, sendo na realidade a belíssima Skopelos, localizada em pleno Mar Egeu.

Nada que tire o brilho da Grécia, que com as suas águas cristalinas, casas brancas e muita mitologia é um excelente destino para quem busca romantismo aliado à história.

 

  1. Vicky Cristina Barcelona

Vicky-Cristina-e-Barcelona

Se você gosta de bons filmes, e principalmente de filmes de Woody Allen vai adorar Vicky Cristina Barcelona.

O título já entrega a localização da trama: Barcelona, na Espanha, é o cenário escolhido por Woody para filmar a história de Vicky e Cristina, duas estudantes que viajam de férias e têm as suas vidas transformadas ao se envolverem romanticamente com o mesmo homem, que, por sua vez, traz em sua cola uma ex-mulher pra lá de transloucada.

E é claro que se tratando de Allen as paisagens possuem uma atenção especial: afinal, o homem que retratou Nova York tal como uma personagem ilustre de diversos filmes não poderia fazer diferente em outros locais.

Assim, Barcelona e os seus pontos turísticos, como o museu a céu aberto do arquiteto Antoni Gaudi têm presença mais do que especial no filme, cujos protagonistas são Scarlett Johansson, Javier Bardem e Penélope Cruz.

 

  1. Um Lugar Chamado Nothing Hill

Um lugar Chamado Nothing Hill

Olhe aí Julia Roberts mais uma vez em nossa lista: dessa vez, saem a Índia, Itália e Indonésia e entra Londres e as suas paisagens clássicas, cinzentas e eternamente românticas.

Nesse filme, Julia é Anna, uma atriz de sucesso internacional que se envolve com o livreiro “gente como a gente” interpretado por Hugh Grant.

E é claro que o romance desde o princípio está fadado a muitos percalços, já que o personagem de Hugh leva uma vida anônima, enquanto Anna vive à mercê de todos os efeitos que a fama acarreta.

O cenário, porém, não podia ser mais certo, já que Londres e o bairro título carregam todo o charme e vanguardismo que o filme precisa.

Ah! Curiosidade: a casa onde a trama se passa, com a sua característica porta azul, virou ponto turístico na vida real.

 

  1. A Noviça Rebelde

A-Noviça-Rebelde

Levante a mão quem nunca ouviu a voz doce e cristalina de Julie Andrews entoar “Edelweiss”?

Pois bem, a flor que dá nome à canção é nativa da região dos Alpes europeus, e facilmente encontrada na Áustria, o país em que A Noviça Rebelde se passa.

A trama gira em torno de Maria, uma noviça que vai trabalhar na casa da Von Trapp e conquista tanto o viúvo como os seus filhos.

Apaixonante é também o cenário da história, e a Áustria, com suas montanhas, neve e muito classicismo (pela sua capital, Viena, passaram inúmeros compositores como Mozart e expressivas figuras da monarquia como Sissi, a imperatriz) é uma escolha imperdível para quem deseja conhecer uma cultura que fuja do lugar comum e, ao mesmo tempo, cheia de tradição.

 

  1. Antes do Amanhecer

Antes-do-Amanhecer

Graças a Boyhood (que vem arrematando todos os prêmios cinematográficos do circuito 2014/2015), Richard Linklater nunca esteve tão conhecido.

Mas quem é cinéfilo de verdade já conhece o diretor de outras produções, como a trilogia do “Antes”: Antes do Amanhecer, Antes do Pôr do Sol e Antes da Meia-Noite.

De todos eles, Antes do Amanhecer pode ser considerado o mais emblemático – e não apenas por ser o precursor, mas por ser o pontapé inicial de uma história de amor que levou anos e três filmes para ser conhecida e finalizada.

Os protagonistas são os estudantes Jesse e Celine, vividos por Ethan Hawke e Julie Delpy.  Os dois se conhecem em um trem e vivem uma paixão com data para terminar, já que Jesse, americano, tem data para voltar aos Estados Unidos, enquanto Celine precisa retornar a Paris.

E, claro, o que seria de uma paixão arrebatadora sem um cenário igualmente arrebatador? Cheia de construções clássicas e imperiais, Viena, a capital da Áustria, é o pano de fundo para a história do casal.

Nada mais justo que um local que respira romance em todos os detalhes inspirasse um… romance, não é mesmo?

 

  1. Frozen

Frozen

“Let it go, let it goooooo”.

É muito provável que você, mesmo que não tenha filhos ou muita aproximação com crianças, já tenha ouvido por tabela esse trecho, afinal, Let it Go foi uma das canções mais tocadas em 2014, tendo inclusive ganhado um Oscar pela categoria.

E não foi só a música que fez sucesso: para quem não sabe, a animação Frozen fez história nas bilheterias e conquistou as crianças (e muitos adultos) com a saga das irmãs Elsa e Anna, que vivem altas aventuras enquanto a mais velha precisa aprender a controlar o inusitado poder de transformar tudo em gelo.

O reino de Arendelle, porém, não existe, o que não significa que não é possível conhecê-lo: é sabido que os responsáveis pelo sucesso se inspiraram na Noruega para compor o cenário do desenho.

Localizado na Escandinávia, o país é muito conhecido pela sua paisagem intocada, quase selvagem e com muitos fiordes, pelo seu bacalhau e por sua também por sua intensa cultura viking.

Quem for visitá-lo, porém, deve ir preparado para enfrentar as baixas temperaturas, muito comuns em regiões próximas ao círculo ártico.

 

  1. Sideways, entre umas e outras

Sideways,-entre-umas-e-outras

Os amantes de um bom vinho vão se identificar com o filme Sideways, entre umas e outras.

Protagonizada por Paul Giamatti (de “A Dama na Água”) e Thomas Haden Church (“Homem Aranha 3”), a trama foca dois amigos que decidem viajar pelas vinícolas da Califórnia para comemorar o casamento de um deles.

Porém, a vida de ambos tende a mudar quando conhecem duas mulheres, tão apreciadoras de vinho quanto eles, e também tão apaixonantes quanto.

Em Sideways, o local escolhido para compor o cenário da trama é o Vale de Santa Inês, ao norte de Santa Bárbara – um deleite para os enófilos de plantão, que podem aproveitar a visita para sair do eixo californiano tradicional, como Los Angeles e São Francisco, e esticar também para o Napa Valley, o “irmão” famoso do Santa Inês mundialmente conhecido pela fabricação de vinhos.

  1. PS Eu te amo

PS-Eu-te-amo

PS Eu te amo já era um livro relativamente conhecido de Cecelia Ahern, quando foi transposto para as telas em 2007.

A história é triste, porém inspira: conta a epopeia de uma viúva, Holly, para amenizar a perda do marido Gerry através de cartas deixadas por ele, que a incentivam a reconstruir a sua vida.

É através de flashbacks que a localidade escolhida para ambientar a trama também ganha destaque: a Irlanda.

Conhecida por ser a terra dos leprechauns, da cerveja Guinness e da mitologia celta, a Irlanda é uma excelente opção para quem deseja fugir do eixo comum Inglaterra e Escócia, afinal, foi palco de diversos acontecimentos históricos que determinaram a construção da Grã Bretanha como é hoje.

Além disso, as suas paisagens bucólicas e colinas verdejantes são um atrativo à parte.

 

  1. O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

O-Fabuloso-Destino-de-Amélie-Poulain

O que você faria se, a partir de pequenas ações, obtivesse o poder de modificar o mundo e tornar as pessoas mais felizes?

Para Amélie Poulain, a personagem título do famoso filme francês de 2001, pequenas ações podem, sim, ganhar o mundo – por isso, após devolver uma caixa perdida em seu apartamento para o antigo dono, decide ajudar diferentes pessoas do seu cotidiano enquanto tenta superar a própria timidez e se declarar para o rapaz por quem é apaixonada.

O cenário para a trama, lúdica e romântica, não poderia ser outro: Paris!

A capital francesa, com suas construções, vielas, museus e um charme único é um ponto obrigatório para quem, assim como Amélie, acredita que um pouco de paixão no dia a dia pode fazer o mundo ganhar novas cores.

Curiosidade: o café Deux Moulins, onde a protagonista trabalha, existe e está aberto à visitação do público.

 

  1. Na Natureza Selvagem

Na-Natureza-Selvagem

Reconhecido como um dos grandes atores da atualidade, Sean Penn colocou a sua veia de diretor à prova em Na Natureza Selvagem.

Inspirado em fatos reais, o filme acompanha a vida de Christopher McCandless, um jovem estadunidense que, após a formatura, embarca apenas com uma mochila e muita coragem nas costas para uma jornada de autoconhecimento, que passa pela Costa Oeste dos Estados Unidos e termina no Alasca.

Por conta das baixas temperaturas, o Alasca é um destino que inspira somente os mais aventureiros a conhecê-lo, uma vez que driblar o frio médio de -24°C no inverno não é para qualquer um.

Porém, quem for vai conhecer um povo à parte, os esquimós, e dependendo da época visualizar um dos fenômenos mais espetaculares da humanidade: a aurora boreal.



É TEMPO DE FOLIA


Se há uma característica que define os brasileiros é a alegria contagiante – uma alegria que ganha o mundo durante a folia mais famosa do Brasil: o Carnaval.

No entanto, a origem do Carnaval é muito mais antiga que o descobrimento do país, e remonta à época da Antiguidade e suas míticas civilizações, tais como a mesopotâmica, grega e romana.

Para quem não sabe, em latim Carnaval significa carnis levale, ou “festa da carne”.

Porém, quando se trata do Brasil, Carnaval é sinônimo de diversão! Por isso, reunimos os principais destinos para você curtir a folia, que esse ano acontece no dia 17 de fevereiro.

Rio de Janeiro

Se, segundo a UNESCO, o Rio de Janeiro é Patrimônio Cultural da Humanidade, o seu Carnaval pode ser considerado uma das joias mais preciosas de todo este patrimônio, afinal a folia carioca é internacional e uma verdadeira meca de diversão para pessoas dos quatro cantos do mundo.

O Sambódromo, localizado na famosa Marquês de Sapucaí, ganha mil cores com os famosos e disputados desfiles das escolas de samba – cabe aos espectadores, de camarote ou não, se aglomerarem em busca de um cantinho estratégico para assistir e se emocionar com o show alegórico, monumental e inesquecível que as tradicionais agremiações proporcionam com propriedade.

Além disso, se visitar a Cidade Maravilhosa nessa época aproveite para conferir os tradicionais desfiles dos blocos de rua, como o Cordão do Bola Preta, considerado o bloco mais antigo da capital carioca: surgiu em 1918. Para se aventurar, é fácil, basta aprender a tradicional Marcha do Cordão da Bola Preta e participar da concentração na Avenida Rio Branco.

Também figuram na lista dos blocos mais populares da cidade a Banda de Ipanema, na ativa desde 1965; o Cacique de Ramos, que revelou Zeca Pagodinho e o “recente”, porém super hypado, Bloco do Sargento Pimenta, que toca, adivinhem, Beatles ao som de muito batuque.

Salvador

Salvador_Carnaval

Pois levante a mão quem não se lembra da febre do axé music: foi em meados dos anos 90 e Daniela Mercury, É o Tchan e outras tantas bandas e cantores estouraram no cenário musical brasileiro com o ritmo que fez a cabeça (e o requebrado) de muita gente.

Os tempos mudaram, mas o axé continua atraindo uma legião de fãs para o seu principal reduto nacional, Salvador. No Carnaval, então, nem se fala – a folia baiana reúne multidões atrás de seus circuitos e alegria ímpar.

Esse ano, os circuitos Barra Ondina/Dodô, Campo Grande/Osmar e Batatinha/Pelourinho prometem arrastar um sem número de foliões com seus diversos blocos, que trarão à frente destaques como Ivete Sangalo, Claudia Leitte, Olodum, Jammil e Bell Marques.

É claro que a diversão tem um preço: em Salvador, a maioria dos blocos é paga, restando ao folião pesquisar os abadás entre nomes como Camaleão, Timbalada, Crocodilo e Largadinho.

Por iniciativa da prefeitura, porém, é possível encontrar trios à parte ou mesmo independentes, que não possuem cordão de isolamento e integram o chamado Carnaval Pipoca.

Ou seja, na terra do dendê, cocada e as famosas cores do Bonfim não há mesmo desculpa para não se jogar na folia.  Aproveite!

Recife e Olinda

Olinda_Carnaval

A gente já conversou sobre o Recife, não é mesmo?

Mas faltou um capítulo especial: a Veneza brasileira também comemora e realiza um Carnaval pra lá de único e multicolorido, já que a data, em Recife e em sua cidade irmã, Olinda, é sinônimo de FREVO!

A dança, agitada e que surge acompanhada por sombrinhas, é uma das principais atrações da folia pernambucana, bem como outros ritmos que caracterizam a região e conferem ares multiculturais: manguebeat, ciranda e caboclinho, só para citar alguns.

Além disso, o folião que se engajar pode se jogar nas marchinhas e hits próprios de Pernambuco, cuja presença no Carnaval é praticamente obrigatória – na playlist, coloque Voltei Recife, de Luís Bandeira; Morena Tropicana, um clássico de Alceu Valença e o Hino do Elefante, muito popular nas ruas de Olinda.

Não podemos nos esquecer de citar também o maracatu.

O maracatu é um ritmo que nasceu na época da escravatura, e veio para o Brasil junto com os escravos africanos.  A dança é caracterizada por muitas cores, e os seus integrantes trajam vestimentas que remetem a nobreza (príncipes, princesas, damas da corte) enquanto levam uma boneca, a calunga, que representa uma rainha morta.

O ritmo não mudou muito de lá pra cá, e é constituído por gongue, caixas e tambores de madeira conhecidos como alfaias.

E o que dizer dos bonecos de Olindas? Eles tomam as ruas durante o Carnaval e garantem a diversão de quem assiste aos desfiles, satirizando diferentes personalidades, de esportivas a políticas.

Se você estiver na região durante as festividades, não deixe de conferir, afinal Carnaval também é cultura.

Ouro Preto e Diamantina

Ouro Preto_Carnaval

Hora de aproveitar o momento histórico para voltar aos tempos da Inconfidência Mineira e colocar no circuito as cidades de Ouro Preto e Diamantina.

Porém, se na época de Tiradentes o cenário não era dos mais agradáveis, hoje a alegria invade Minas Gerais e as festividades carnavalescas no estado ganham o país.

No geral, a folia mineira possui uma característica que a difere das demais: a forte participação das repúblicas estudantis na organização da festa!

São elas que administram uma grande parte do pacote hospedagem + participação – no entanto, os hotéis e pousadas na região também oferecem opções de hospedagem para todos os gostos e bolsos.

À parte, há também os outros blocos, com uma pegada mais tradicional: para citar alguns, há o Bloco do Mato, em que moradores dos bairros altos da cidade saem pelas ruas carregando ramos de folhas; o bloco Jesus é bom à beça, que há mais de 15 anos mescla batuque com mensagens religiosas e o Zé Pereira dos Lacaios, cujo fôlego e bonecos gigantes levam alegria aos foliões há mais de 100 anos.

Além disso, a programação de Ouro Preto também conta com desfiles de escola de samba, como a Escola de Samba Unidos do Padre Faria, eleita 18 vezes a campeã da festividade.

Não se esqueça de aproveitar a visitinha para conhecer também festejos em Diamantina, afinal, é lá que duas atrações imperdíveis do carnaval mineiro marcam presença: a Bartucada e a Bat-Caverna.

Na ativa desde 1972, a Bartucada é uma banda que surgiu através de uma iniciativa dos próprios moradores de Diamantina, que se reuniam no tradicional Largo da Quitanda para, é claro, batucar.  O grupo tem como lema “o samba não pode parar” e, hoje, apesar de tocar outros ritmos além do samba de raiz original, leva às ruas dezenas de ritmistas e instrumentos variados, como surdos, caixas, cuíca e tamborins. Não tem como ficar parado!

A título de curiosidade, a logomarca da banda é uma composição do sol e da lua, pois o grupo inicia a sua apresentação sob a luz do luar e encerra com o sol brilhando. Haja pique! Por outro lado, a banda Bat-Caverna também é atração obrigatória para os festeiros de Diamantina. Foi fundada em 1985 e toca samba de raiz até hoje, contabilizando nada menos que 40 ritmistas.

É diversão garantida, o Rei Momo já dizia.



Fique atento ao horário de atendimento de final de ano:


funcionamento

Importante ressaltar que o atendimento emergencial continua sem qualquer alteração durante os dias de recesso.

Desejamos excelentes festas a todos.



As muitas cores de Recife


Se há uma característica que define a capital de Pernambuco, o Recife, são as suas cores: berço do frevo, foi também o lar do proeminente dramaturgo Ariano Suassuna, cuja obra “O Auto da Compadecida” se tornou referência ao mesclar e dividir com o mundo literatura de cordel, lirismo e as suas cores.

Quase uma aquarela é também o pôr do sol na Praia da Boa Viagem, uma das praias mais famosas no Brasil e a mais movimentada da região. Um ponto obrigatório para quem visita a cidade, e um convite para se encantar com ela – o que não é muito difícil.

Atualmente com mais de 1 milhão e 600 mil habitantes, o Recife é uma cidade histórica.

A sua fundação, dizem, ocorreu no século XVI, e a partir de um simples porto, que servia como base para um povoado que futuramente se tornou a Vila de Olinda.

Ainda hoje, é possível visitar muitos desses locais históricos e as suas construções que o tempo não apagou, um deleite para quem enxerga cultura nos pequenos e grandes detalhes…

Sim, o Recife respira cultura.

Praia de Boa Viagem

Praia da Boa Viagem

Praia da Boa Viagem

Inicie o seu dia fazendo uma visita à Praia de Boa Viagem.

Considerada uma das mais belas do Brasil, é um cartão postal obrigatório para quem está na cidade, e uma pedida perfeita para quem ama a combinação praia, sol, boa energia e muita diversão.

Isso por que a Praia de Boa Viagem, além de ocupar uma faixa de 8 quilômetros, possui águas mornas e convidativas, muitas opções de quiosques e quadras poliesportivas e uma forte estrutura para receber interessados em praticar mergulho.

Ao todo, são 17 locais de naufrágios para o mergulhador visitar – não à toa, o Recife é conhecido como “a capital brasileira do mergulho em naufrágios”.

É hora de almoçar!

Após se divertir na Praia de Boa Viagem, é hora de recompor as energias e se preparar para o almoço. E, para a alegria dos gulosos de plantão, o Recife reúne diversas opções para matar a fome.

A presença da culinária regional é forte e você não pode deixar de aproveitar a ocasião para provar o arrumadinho, um prato típico que leva esse nome pela forma a qual é servido: Com todos os ingredientes “arrumados”, para o próprio cliente misturar.

No Beca Bar, localizado no bairro Santo Amaro, o prato é disponibilizado em 14 versões, como bacalhau e camarão, e vem acompanhado por feijão-macáçar, farofa e molho vinagrete.

Além disso, o Recife dispõe de outras iguarias que unem sabor e tradição: Prove a macaxeira com charque do Charque do Alemão, a buchada do Bode do Nô e arremate com o famoso bolo de rolo.

Bolo de Rolo

Bolo de Rolo

O doce, que ganhou fama Brasil afora e é muito parecido com um rocambole, foi eleito “patrimônio da gastronomia pernambucana” e até o papa João Paulo II, em visita ao Brasil na década de 80, provou o quitute.

O mais tradicional é o da Casa dos Frios, que possui duas unidades na cidade (uma delas na Praia de Boa Viagem) e está na ativa desde 1957.

Os primos Brennand

Oficina Brennand

Oficina Brennand

Pergunte para qualquer recifense e todos poderão confirmar que o nome Brennand é, no mínimo, muito familiar.

A razão está no fato de Ricardo e Francisco Brennand serem os pilares de dois pontos turísticos essenciais para quem visita a cidade: o Instituto Ricardo Brennand e a Oficina Brennand.

A gente avisa: separe algumas horas consideráveis de seu dia para as duas atrações, pois ambas são riquíssimas em cultura para admirar com os olhos e com o coração.

Referência em apresentar ao público mais do estilo holandês – cuja colonização no Recife é forte -, o Instituto Ricardo Brennand abriga um castelo de verdade, o Museu de Armas Castelo São João, que abriga diversas relíquias dos séculos XV e XXI.

Sua coleção de armas e armaduras é uma das maiores do mundo – tem desde cintos de castidade até espadas de faraós egípcios – e a coleção de arte conta com estátuas do colombiano Botero, telas do holandês Franz Post e do italiano Canaletto.

Além disso, o local dispõe de uma biblioteca com mais de 20.000 itens e uma pinacoteca que abriga exposições nacionais e internacionais.



Fortaleza, terra de Iracema


Os fãs de literatura brasileira certamente já ouviram falar do romance Iracema, de José de Alencar, cujo cenário é Fortaleza, a capital do estado do Ceará.

E, se no livro é fácil compreender a força da paixão entre a índia do título pelo português Martim, na vida real não é diferente, ao menos quando se trata da cidade: Impossível visitar Fortaleza e não se apaixonar!

Atualmente com mais de 2 milhões de habitantes, Fortaleza cultiva a receptividade que fez com que se tornasse um dos principais destinos no Nordeste brasileiro – tanta amorosidade, combinada com as altas temperaturas, tornam a cidade uma opção “quente” para passeio em qualquer estação do ano; inverno, outono, primavera e, claro, verão!  É, em Fortaleza não existe tempo ruim!

O que fazer em Fortaleza?

Ficar de bobeira em Fortaleza não é opção.  A cidade reúne muitas praias, boa gastronomia e pode ser considerada um museu a céu aberto, onde a natureza é o principal destaque.

Praia do Futuro

Praia do Futuro

Gosta de badalação? Vá à Praia do Futuro, a queridinha dos surfistas e banhistas. Afinal, não é todo dia em que se encontra uma praia com águas límpidas e convidativas, infraestrutura (são muitas as barracas com opções gastronômicas) e gente bonita.  Apenas para se ter uma ideia, a Praia do Futuro é tão extensa que ocupa uma faixa de 8 dos 25 quilômetros da orla da capital.

E não está sozinha: Fortaleza ainda reúne outras opções como a Praia de Iracema, um ponto obrigatório para os turistas que desejam visitar a estátua homônima, tomar uma cerveja em um dos bares nas cercanias ou simplesmente ver o sol ir embora na Ponte dos Ingleses; Praia de Mucuripe, com suas belas jangadas que compõem um cenário inesquecível à beira mar e Praia de Meireles,  cuja feirinha de artesanato é uma atração à parte.

Se após tantas atrações você não ligar em pegar estrada e ainda estiver no pique, vale a pena esticar a temporada no divertido Beach Park, localizado na Praia de Porto de Dunas, em Aquiraz (a apenas 15 quilômetros da capital) ou em praias mais distantes, que ficam fora do município, como as românticas Jericoacoara e Canoa Quebrada.

Fortaleza além do mar

A gente garante: A sua viagem à Fortaleza não estará completa se você não mergulhar nas ricas opções culturais da cidade, como o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

Localizado na Praia de Iracema, é um complexo cultural com um mix de atrações como cinema, museu, teatro e planetário.  Ou seja, uma atração tamanho família!

Theatro José de Alencar

Theatro José de Alencar

Além disso, os turistas podem visitar o Theatro José de Alencar, cuja inauguração foi em 1910, o Museu do Ceará e o seu rico acervo de 13 mil peças, e, por que não, dar uma olhadinha na Arena Castelão, que passou por uma grande reforma por causa da Copa do Mundo e possui o serviço de visitas guiadas.

Quer mais?

Vá bater perna no Mercado Central de Fortaleza e suas inúmeras lojas, que comercializam desde temperos a souvenires diferenciados e joias em ouro e na famosa Feirinha de Artesanato da Avenida Beira Mar.

Bateu a fome

É fã de frutos do mar?

Mais um ponto em Fortaleza que você vai adorar!

A cidade detém o título de “maior exportador de lagostas do mundo” e vira e mexe é possível encontrar opções em terra firme ou beira mar que servem o crustáceo.

Além disso, Fortaleza é muito bem servida de delícias como camarão, caranguejos, pescados variados, carne-de-sol e feijão de corda.

Para arrematar, procure uma sorveteria artesanal – por lá você acha um monte! – e peça um sorvete de sabor tipicamente nordestino, tal como cupuaçu, graviola, sapoti, cajá…

Altas temperaturas

Na mala, além de muito pique e diversão, não se esqueça de levar trajes leves, chapéu e protetor solar.

O clima tropical predomina em Fortaleza, o que significa que o primeiro semestre do ano é mais chuvoso e o segundo é muito seco – além disso, a cidade não possui um “inverno” tal como o rigoroso paulista: Por lá, a temperatura mínima nos meses de junho e julho beira os 22 e 21ºC.

Ou seja: Enquanto metade do país enfrenta a estação mais fria do ano, em Fortaleza o sol brilha de janeiro a janeiro.

Não é incrível? José de Alencar, que escreveu maravilhas sobre a cidade em seu romance, certamente aprovaria.

Dica de morador!

“Quinta feira à noite é dia de comer caranguejo! Até quem não aprecia o crustáceo vai para a rua este dia! É uma tradição que começou com o proprietário da famosa barraca Chico do Caranguejo, e hoje é possível provar caranguejada em qualquer parte de Fortaleza. Prove também o camarão alho e óleo do restaurante Budega do Poço, que possui dois endereços na cidade, e arremate com uma visita ao “Centro das Tapioqueiras”, na rodovia CE-040, que comercializa tapioca de todos os sabores. Nas proximidades, vale a pena visitar o Museu da Cachaça, em Maranguape, e o parque Engenhoca, em Aquiraz. São perfeitos para passar o dia por um preço bem acessível. Por fim, assista a um show de humor em um dos vários restaurantes que abrem espaço para esses artistas, aproveite o Passeio Público, que rola todos os sábados com direito a chorinho e feijoada e alugue patins, bicicletas e skates na Praia de Iracema”.

Valéria Medeiros – Relações Públicas e moradora de Fortaleza